quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Insaciável - Meg Cabot

Insaciável foi um livro que me chamou atenção logo no primeiro momento que o peguei em uma livraria: a capa sombria, a sinopse e, é claro, a autora. Entrando na onda de “loucos por vampiros”, Meg Cabot dá uma boa lição do que é uma história bem elaborada sobre o assunto. Nada de muito inusitado – eles ainda sugam sangue e queimam no sol –, o que compensa é a narração sarcástica da autora, que faz uma série de brincadeiras com essa obsessão pelos tais seres das trevas, e o seu estilo familiar de escrita que consegue surpreender de formas diferentes a cada história.



Meena Harper tem o “dom” de saber exatamente como as pessoas irão morrer quando a morte delas está próxima, sua vida passou por vários transtornos devido a esse detalhe, já que, para variar, ninguém acreditava nela. Ela é redatora da famosíssima novela Insaciável, que está passando por inovações no roteiro para aderir a nova sensação do momento: vampiros. Além de enfrentar a crise no trabalho, Meena é quase morta por morcegos alucinados enquanto passeava com seu cachorro, salva por um homem misterioso de sobretudo. Depois dessa noite fatídica, a vida de Meena toma um rumo completamente fora do comum.

As personagens têm seus defeitos e qualidades, em determinados momentos você pode concordar plenamente com o pensamento delas e na página seguinte tudo isso vai por água abaixo. Isso dá credibilidade à história, até porque é basicamente o que acontece na vida, as pessoas agem da maneira que consideram ser o certo, mas nem sempre os valores de cada uma são os mesmos. E apesar de Cabot ter lá seus clichês, o desenrolar da história consegue ultrapassar o típico casal envolvido em um romance juvenil proibido.
  


O livro é grosso (502 páginas), mas a Galera Record fez um bom trabalho na diagramação, de modo que fica tudo muito bem espaçado e a leitura flui que é uma beleza. O enredo trabalha com uma pitada de mistério e várias cenas de luta, com direito à estacas em corações e cabeças rolando. Considero que essa mistura de amor proibido, ironias e ação – envolvendo vampiros, padres, freiras, uma redatora de novela e guerreiros palatinos – é a receita de uma história, no mínimo, curiosa.


Insaciável tem continuação sim, o segundo livro se chama Mordida, só que esse ainda não li. Ele é aparentemente bem menor do que o primeiro, não posso falar muito mais porque nem a sinopse cheguei a ler – sou dessas que reluta pra ler sinopses por motivos de spoilers –, mas acredito que deva ser um livro pra amarrar as pontas soltas do final do anterior.

Aqui vão mais algumas fotos do meu minion vampiro entretido com Insaciável.





ISBN: 9788501091345

Meg Cabot é uma das escritoras que marcaram minha adolescência, e a responsável por me fazer criar gosto pela leitura (pois é, não foi J.K. Rowling). O livro que me deu o ponta pé inicial no universo literário foi A Garota Americana, seguido da saga A Mediadora. A partir daí Meg Cabot virou uma das queridinhas da minha estante.

Finalizo com uma perguntinha pra quem quiser responder nos comentários:

Qual livro marcou sua adolescência?

That’s all, folks!
xx






14 comentários

  1. Muito legal, adorei o livro, o livro que marcou a minha vida até agora (não tem outro melhor ainda), é o Corações feridos e Louisa Reid. Muito bom adorei beijos!

    Blog Sorriso de Vida, clique e saiba mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, não conheço os que tu disse, mas do jeito que tu falou fiquei até curiosa pra conhecer um pouco mais.
      Obrigada! :D

      Excluir
  2. Parabéns, Evelyn! Fiquei super interessada em ler este livro! As fotos estão demais também! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale a leitura! E muito obrigada, Mari. <3

      Excluir
  3. Esse minion!! hahahahahaah
    Meg Cabot é muito amor!!! Definitivamente a autora que me fez continuar lendo enquanto esperava por Harry Potter e ajudou na minha não tão pequena obsessão por livros e marcou muito os anos de colégio.
    Vou admitir que outro que me marcou a adolescência foi Crepúsculo, porque foram os primeiros livros que li em inglês.
    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ou foi tu ou a Louis a responsável por me apresentar Meg. <3 Lembro que sempre pegava os livros emprestados de vocês! HAHA. Mediadora mesmo, é xodó.
      Beijo

      Excluir
  4. Confesso que a responsável por eu criar gosto pela leitura foi a J.K Rowling. Mas eu simplesmente amo os livros da Meg Cabot. Ela tem uma coisa que deixa seus livros leves e a leitura fica deliciosa. Não li esse ainda, mas fiquei morrendo de vontade agora haha. Adoro seu blog, beijão. <3

    setembro-literario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, a Meg tem esse jeitinho que deixa todo e qualquer livro com uma fluência gostosa e divertida de ler.
      E muito obrigada, Beatriz! Gosto muito do seu também. :3

      Excluir
  5. Oie! Retribuindo a visita que fez no meu blog e te digo que amei o seu! É muito caprichado, parabéns!
    Curti a fanpage pra ficar por dentro ;)
    Ah, e a Meg é minha escritora preferida, ela consegue me prender na historia como nenhuma outra pessoa faz! Esse livro é ótimo, leia a continuação <333333

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bianca!
      Ah, muito bom saber, já tenho o segundo livro aqui, logo vou ler. :3
      Beijos

      Excluir
  6. O livro que marcou o início da minha adolescência foi Harry Potter, mas ali do ladinho da J.K. a querida Meg Cabot me acompanhou por anos, com sua escrita peculiar e suas dezenas de livros. Em relação a Insaciável... lembro quando foi anunciado que Meg escreveria um livro de vampiros eu fiquei super contrariada. Apesar de gostar, era uma enxurrada de livros com essa temática e não aguentava mais, além disso não queria logo a Meg aderindo à "modinha". Pois é, me apaixonei pelo livro. Ela conseguiu como sempre me encantar, realmente não é meu livro favorito dela, mas é um bom livro. Inexplicavelmente eu não li Mordida até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tô contigo! Apesar de ter ficado contrariada também, não duvidei da Meg em nenhum momento, sabia que ela faria um bom trabalho. O livro foi meio que pra mostrar a versatilidade dela e o que é uma história bem construída e com sentido, diferente de algumas qualquer que surgiram sobre vampiros naquele surto.
      Beeijo

      Excluir
    2. Verdade, a Meg é bem versátil. Nem reclamo :) Estou doida para revê-la agora em outubro.

      Excluir
    3. Manda um beijo pra ela se você for no encontro e conhecê-la. HAHAHA <3

      Excluir