terça-feira, 8 de setembro de 2015

Um Estudo em Vermelho - Arthur Conan Doyle

Sherlock Holmes é um dos personagens mais conhecidos da literatura britânica, criado por Arthur Conan Doyle, o astuto detetive teve sua primeira história publicada em 1887, em uma revista de bolso da época. Elementar, meus caros, que é sobre ela que farei a resenha de hoje. Um Estudo em Vermelho é o responsável por este legado de romances policiais envolvendo Sherlock Holmes e seu companheiro John Watson (Dr. Watson), a história nos apresenta a primeira de muitas das aventuras da dupla e fascina ao nos introduzir o singular método utilizado por Holmes: a lógica dedutiva.




O livro conduz o leitor através do início da amizade entre Holmes e Watson, e seu primeiro caso policial juntos, uma morte enigmática que a polícia não se vê capaz de compreender sem a consultoria detetive de Holmes. A narrativa tem dois focos, a primeira metade relata o caso e a jornada dedutiva de Holmes, já a segunda parte conta, voltando no tempo, a vida de um povo da área rural dos Estados Unidos, e através dela descobre-se os motivos pelos quais o assassino cometeu tal ato. Apenas no final, a história retorna ao presente para que se possa concluir o caso com a explicação de Holmes sobre como descobrira o responsável.

Recomendo as histórias de Sherlock Holmes para qualquer um, porque é quase impossível não amar o carismático detetive e seu corajoso fiel escudeiro. Sim, você não leu errado, Sherlock Holmes é incrivelmente carismático, apesar de seu sarcasmo peculiar e raciocínio aguçado, ele nos cativa de jeito com toda sua lábia e sua arte de dedução. Crush literário indeed.





Agora, vamos falar sobre essa edição de bolso de luxo da editora Zahar, por favor? Foi amor à primeira vista, daquele que você sente que sua vida não seria completa se você não tivesse não só ela, mas a coleção. Capa dura, páginas amareladas, tamanho ideal para carregar para cima e para baixo (sem perder a qualidade, como geralmente são as edições de bolso brasileiras), ilustrações incríveis e com um capricho que já virou marca registrada da editora.

Capa da primeira edição da revista (1887).





Quer saber das boas novas? A Zahar lançou esse mês outro livro dessa coleção – que por sinal é o segundo da ordem cronológica de Sherlock Holmes –, O Signo dos Quatro, e no estande da editora na Bienal do Rio, ele estava sendo vendido (com os outros da coleção) na promoção! Queria muito. Vi a informação no instagram da Zahar, então quem estiver pela Bienal não perde essa recomendação, pleease.

Cartão do Museu do Sherlock em Londres que ganhei de uma amiga. <3



Algum fã de Sherlock Holmes por aqui? Qual sua história preferida do detetive?


“To a great mind, nothing is little.” (S.H.)

xx

10 comentários

  1. Eu adoro as histórias de SH. Mas eu prefiro o Conan Doyle contista. Eu ainda não terminei de ler Um estudo em vermhelho pq achei massante a parte dos EUA. Mas pretendo retomar a leitura tão logo possível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, viu? Empaquei na leitura algumas vezes nessa segunda parte, mas depois ela começa a fazer mais sentido, aí fica legal de ler. Você se sente meio Sherlock. HAHA.

      Excluir
  2. MEU DEUS, acho que é a primeira vez que entro aqui e já entro com um post maravilhoso desses! Eu tenho a versão bonitona (capa vermelha) com os romances, mas é bem pesadinho e dá um desabimo ler :/ tô doida pra comprar essas pockets de luxo e me jogar! AMEI AS FOTOS e esse cartão <3 Gostei muito do seu espaço, ganhou uma seguidora! www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn, muito obrigada, Ana! Fico felicíssima que tenhas gostado do post e do meu cantinho. :3
      O problema dessas edições grandes é que não são nem um pouco práticas (GoT feelings), então super recomendo essas da Zahar que tem o tamanho e a diagramação ideais.
      Beijinhos

      Excluir
  3. Amei seu blog, sério mesmo, ele é lindo hehe ♥
    Adorei a resenha, mas tipo de história não faz muito meu tipo de leitura sabe? mas é exatamente o tipo de leitura da minha mãe hahaha, você me ajudou a pensar em um presente maravilhoso de aniversario ! Obrigadaaa ♥

    http://www.limaocomacucar.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muuuito obrigada, Nicoli! *-*
      Que bom que ajudei com o presente. HAHAHA. Aposto que ela vai gostar.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Evy.
    Esse livro foi o único desse autor que li, mas o achei sensacional. Essa narrativa não linear foi o ponto alto da trama, para mim. A forma como Holmes destrincha o caso é incrível.
    Estou aqui em casa com uma edição de bolso de luxo da Zahar de um outro livro de Doyle: As aventuras de Sherlock Holmes, que é um livro de contos, se não me engano. É uma pena pq ainda não consegui parar um tempo para lê-lo, mas em breve o farei.

    Beijinhos, Hel.

    leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você! Esse livro de contos é ótimo, porque são vários casos diferentes, então dá pra conhecer e se apaixonar ainda mais pelo Sherlock e seu método de dedução. :3
      Beijinho

      Excluir
  5. A Zahar arrasou nessa edição!
    Acabei de encontrar seu blog na internet da vida, e amei! As fotos do post estão lindas! Beijo ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei dizer qual é minha favorita, todas as edições de luxo dela são lindas. <3
      Obrigada, Amanda! Espero que continues curtindo o conteúdo.
      Beeijo

      Excluir